Make your own free website on Tripod.com

As Células

 

Enquanto não se inventou o microscópio o homem não sabiam que as células existiam. Os gregos antigos — particularmente Aristóteles — conheciam relativamente bem os órgão dos seres vivos, mas desconheciam totalmente aquelas partículas elementares, embora alguns supusessem que deviam existir.

Hoje sabe-se que todos os seres vivos são formados de minúsculas partículas chamadas células. Alguns tipos de células podem ser vistos a olho nu, mas em sua maioria absoluta só são vistos através de um microscópio.

O descobridor das células foi Robert Hooke, que, observando cuidadosamente um pedaço de cortiça, em 1665, notou uma membrana dura. Seu microscópio, no entanto, desenvolvido por ele mesmo, era ainda muito rudimentar para aprofundar a descoberta. Mais tarde, em 1676, usando outro microscópio, Aston van Leeuwenhoek conseguiu observar, pela primeira vez, uma série de células vivas: bactérias, glóbulos vermelhos do sangue, espermatozóides e protozoários. A teoria celular, porém, só foi formulada em 1839, po Schleiden e Schwann. Através de suas observações, esses dois cientistas concluíram que todo ser vivo é constituído por unidades fundamentais: as células. Assim, desenvolveu-se a citologia (ciencia que estuda as células), importante ramo da Biologia.

Muitos seres vivos são constituídos de uma única célula isolada, como os protozoários. Os demais seres, entretanto, são pluricelulares (formados de muitas células). Eles também nascem de uma única célula, mas a célula inicial divide-se depois em várias outras, que também se subdividem. À medida que elas se multiplicam, em diferentes etapas do desenvolvimento, as células resultantes vão se tornando diferentes umas das outras, formando tipos com funções específicas.

O organismo dos mamíferos, por exemplo, é constituído por vários conjuntos de células diferentes que forma grupos de tecidos orgânicos. Entre os tecidos mais importantes estão os que compõem os músculos, os ossos, a pele e os nervos.

Embora as células sejam a unidade básica da vida, elas são também uma espécie de organismo completo. Uma película muito fina, chamada membrana plasmática, envolve-a por inteiro, mas permite que ela receba alimentos e oxigênio, e elimine seus detritos. No interior da membrana acha-se o protoplasma, que, visto no microscópio, apresenta um aspecto gelainoso. Ali esão numerosos elementos minúsculos, cada um com uma função específica. O mais denso é também o mais importante e chama-se núcleo. Ele age como o "cérebro" da célula e controla todas as suas funções, tais como o crescimento e a reprodução. Apenas alguns tipos de células — como os glóbulos vermelhos do sangue — não possuem um núcleo típico.

Geralmente a célula tem que se reproduzir muitas vezes até formar o corpo inteiro de um animal ou vegetal. Esse processo (chamado mitose) começa quando a célula inicial se divide em duas, formando duas novas células, que, por sua vez, se subdividem formando quatro, e as quatro formam oito e, assim por diante. Eles contém minúsculos filamentos — os cromossomos — que controla a natureza da célula e d organismo a que pertencem.

Cada ser vivo possui determinado número de cromossomos — o homem, por exemplo, possui 46 no núcleo de cada uma de suas células. Os cromossomos contêm os elementos chamados genes, que determinam as características dos indivíduos, desde a cor dos cabelos ou dos olhos até o formato do rosto.

 

As Células Animais e Vegetais

As primeiras células observadas foram as vegetais. Isso, provavelmente, porque tem uma parede externa, em geral de celulose, visível até em microscópios que fornecem imagens pouco aumentadas. As células apresentam tamanho e formas variáveis. Encontram-se células alongadas, ovoidais, estreladas, esféricas, ramificadas, etc. Vejamos os componentes de uma célula vegetal:






NOTA: Existe parede celular em outros seres vivos, tais como as BACTÉRIAS (que não são vegetais).

Informação cedida pelo Professor Vitor.
Muito obrigado Vitor! Espero mais colaborações...