Make your own free website on Tripod.com

O Mundo Dos Selos

 

Até a metade do século passado, era hábito constante, em todos os países, que a importância para a expedição da correspondência fosse paga pelo destinatário, à chegada do despacho postal. Isso, naturalmente, trazia sempre seus incovenientes, seja porque podia acontecer que a pessoa a quem a carta era destinada não fosse encontrada, seja porque esta não se achava em condições de pagar a taxa fixada.

A adoção do selo foi, por isso, uma verdadeira e própria revolução de ordem econômica e administrativa, pois esse pedacinho de papel é, realmente, colado na correspkndência pelo remetente e garante à Administração dos Correios, antecipadamente, a despesa da remessa. O idealizador do selo foi um funcionário dos correios britânicos, Sir Rowland Hill, e a inovação, segundo alguns, foi-lhe inspirada por uma experiência pessoal. Um dia, ele teria entregue a uma jovem uma carta que lhe fora expedida pelo irmão; recebida a carta, a moça revirou-a entre as mãos, observando-a atentamente, e depois a devolveu, sem abri-la. Surpreso por esse inesperado contratempo, que lhe vedava de receber a justa recompensa pelo transporte e entrega, Rowland Hill interrogou a moça, ficando sabendo, assim, que por ela, por certos sinais convencionais escritos na sobrecarta, ficara ciente de que o irmão estava passando bem e, portanto, não lhe interessava ler a carta. É bem improvável que Sir Rowland Hill tenha sido protagonista neste episódio. É certo, contudo, que Rowland Hill foi o primeiro a propor a adoção do selo aos Correios Britânicos, os quais aprovaram a proposta, em 1840. Alguns anos mais tarde, essa reforma foi adotada também em outros países, sendo de notar que o Brasil foi o segundo.

Nasceram, sucessivamente, os amadores e os colecionadores de selo, ou seja, os filatelistas. A atividade que apaixona o filatélico é bastante variada e interessante. Basta pensar, por exemplo, que, através desses pedacinhos de papel colorido, ele pode conhecer paisagens, monumentos, flores, animais de países ainda não visitados, a efígie de personagens célebres, e o emblema de nações estrangeiras. Nos selos, está reproduzido o mundo inteiro e, por isso, é sempre interessante e instrutivo, além de divertido, colecioná-los.