Make your own free website on Tripod.com
COBOL

 

Apesar das linguagens de alto nível serem relativamente independentes da máquina, existiam, ao longo do tempo, várias versões da mesma linguagem (por exemplo, existe o FORTRAN I, II, III e IV) e para diferentes máquinas.

Em 1959, um grupo de profissionais, sob o patrocínio do governo dos Estados Unidos da América, com representantes do governo, dos fabricantes de computadores, instituições de ensino superior e usuários, reuniram-se na Conference on Data Systems Language. Um dos objetivos desta conferência era estabelecer os padrões para o desenvolvimento de uma linguagem voltada a resolução de problemas comerciais.

Concordou-se que ela deveria ter os seguintes aspectos:

  1. Ter uma forma natural de expressar programas;
  2. ser de fácil aprendizado;
  3. possuir facilidade de auto-documentação;
  4. completamente independente do equipamento;
  5. possuir uma estrutura que permita uma evolução sem que a linguagem mude na sua essência.

Em dezembro de 1959 surgiu a primeira versão desta linguagem, que recebeu o nome de COBOL, uma sigla de Common Business Orientol Language (Linguagem Orientada para Comércio Comum).

Pode-se dizer que os objetivos desta conferência foram atingidos com pleno sucesso, pois o COBOL apresenta todas estas características.

Durante vários anos o COBOL sofreu contínuos refinamentos e padronizações, contudo, a linguagem é essencialmente a mesma.

Atualmente existe um padrão aprovado pelo ANSI (American National Standard Institute), uma instituição voltada a normas e padrões válidos para o território dos EUA, conhecido como ANS COBOL.

Esta versão é a que atualmente está implementada na maioria dos computadores do mundo todo.

Como seu próprio nome indica, o COBOL é uma linguagem voltada principalmente para problemas comerciais.

Diferentemente dos problemas científicos, os problemas comerciais não necessitam manipular fórmulas matemáticas complexas, mas necessitam manipular eficientemente arquivos extensos e de constante atualização.

Por este motivo o COBOL possui muitos recursos para a manipulação de dados de entrada e saída.

Para tornar-se autodocumentado o programa pode conter comentários que o expliquem. Além disso, o COBOL foi estruturado de forma a Ter quatro grandes divisões interrelacionadas que facilitam a identificação de setores do programa e a sua leitura.

As quatro grandes divisões são: Identification Division- Divisão de Identificação. Enviroment Division- Divisão de Equipamento. Data Division- Divisão de Dados. Procedure Division- Divisão de Procedimentos